Buscar
  • Amôras

sobre o face e meus posts

Atualizado: Jun 18

infelizmente passei por coisas que não desejo nem para aqueles que me detestam (e podem ter a certeza de que tem muita gente que não gosta nem um pouco de mim). foram muitos lutos e lutas e mais lutos. pra toda perda, existe um ganho:


EXPERIÊNCIA


desde o dia 13 de julho de 2013 escrevo sobre as minhas dores. é uma forma de gritar pro mundo aquilo que me desespera por dentro (e olha que nem sempre escrevi TUDO o que aconteceu, existem fatos tão tristes que eu ainda não tenho coragem de jogar para o universo).


com o tempo aconteceram duas coisas distintas:

1- pessoas maravilhosas que me mandavam mensagens de puro amor, força, carinho

2- pessoas maravilhosas que me mandavam mensagens de puro descontentamento sobre os meus textos: "você tem que mudar o disco", "você está se expondo demais", "você está muito deprê e precisar sair dessa..."


com o tempo (novamente), senti que meus textos poderiam ajudar quem passa pelo mesmo tipo de tristeza. algumas amigas queridíssimas que perderam pai ou mãe me usaram de exemplo em suas terapias, quando achavam que não tinha como sair daquela tristeza, elas lembravam de mim... ou então, quando aqueles passava por uma perda, alguém que me conhecia acabava contando a minha história.


no começo achava isso uma merda. cacete, eu virei uma merda de história triste que estava servindo de consolo... mas de repente, enxerguei algo muito maior nisso tudo. eu não passei tudo isso pra nada. eu não perdi as pessoas que mais amava pra me tornar uma mulher triste apenas. eu tinha algo a dizer, mesmo que muita gente não tenha a menor noção da importância de se falar sobre a morte e tudo o que ela traz pra quem ainda vive.


eu escrevo em datas importantes, eu escrevo quando bate uma saudade forte, eu escrevo pra mim e para quem está perdido na saudade. eu escrevo, muitas vezes, apenas por escrever...


e é aí, que muita gente se acha no direito de me analisar - todos formados em psicologia ou psiquiatria? não mesmo. são publicitários, médicos, empresários...


eu adoro estes momentos. já ouvi cada absurdo, um dia eu escrevo o que já me falaram... (só um tira gosto: "meu deus você precisa esquecer isso tudo, não faz bem nem pra eles e nem pra você" / "você era tão linda, parecia uma princesa e agora está muitoooo gorda, filhinha o que aconteceu com você")

quando escuto essas coisas a minha vontade é levantar, enviar o dedo na fuça da pessoa e falar um monte. mas eu nunca fiz isso...

nestes momentos já dei risada, já agradeci e sorri, já agradeci e chorei...

mas está acabando o ano e nesta época sinto ainda mais saudades e por isso, resolvi que a próxima pessoa que se achar no direito de falar sobre este assunto, será interrompida imediatamente. Me desculpem, mas a vida é minha, o face é meu, o insta também... e este blog então - TUDO MEU. eu escrevo, falo, grito o que eu bem entender.

ninguém é obrigado a me escutar ou me ler. é simples, me deletem... da vida, do face, do insta.


o pior é que quem mais faz este tipo de grosseria são aqueles que mal falam comigo, aqueles que me encontram de vez em quando e olhe lá. são pessoas que não sabem em que situações meus pais morreram, que não fazem ideia do que aconteceu no dia 11, 12 e 13 de julho de 2013, muito menos no dia 02 e 03 de maio de 2014... ou no dia 10 e 24 de maio de 2015... e assim por diante.


eu não tenho medo de nada, nunca tive pra ser sincera. hoje em dia, só meia dúzia de pessoas me fariam falta de verdade e essas pessoas eu cuido com imenso carinho, pois são meus, totalmente meus, como meu marido e meu irmão. por isso, se quiser me dar de presente uma consulta "barata" de terapia, não perca tempo, me delete.


vou continuar escrevendo e falando e gritando porque a morte é um caminho sem volta. eu morri mil vezes nos últimos 5 anos, então me deixem em paz. quem queria me ajudar esteve ao meu lado (em silêncio) nos piores momentos desta história toda. se você não esteve, não tem o direito de falar nada.


e para terminar: eu não estou escrevendo para ninguém específico, mas se você se viu nestas linhas, apenas repense e engula as suas palavras soltas e rasas.


este texto foi escrito em nome de todos aqueles que sabem a dor de se perder aqueles que ama!


sem mais

FABIANA BUSSAMRA GUERRA


33 visualizações1 comentário
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon

    © 2023 por Amôras. Orgulhosamente criado com Wix.com